terça-feira, 22 de julho de 2008

Januária na Janela


"Toda gente homenageia, Januária na Janela
Até o sol faz maré cheia, pra chegar mais perto dela"


Janunária é a moça que carrega nos olhos um que de boniteza. Os cabelos compridos, dourados de sol. Cintura fina e caminhar arrebitado, passando por entre a gente como se andasse sobre as nuvens. E o resto? Era tudo passarinho que voa, voa e nunca que consegue alcançar.

"O pessoal desce na areia e batuca por aquela que malvada se penteia e não escuta quem apela"

Januária abre a janela, e o porto se faz luz. O mar se aproxima devagar para ouvir Januária, em voz de rainha, cantar hinos de louvor à deusa do mar. E de longe, o mar chega é nos olhos dela, que marejam de saudade.

Sozinha em sua beleza, Januária não enxerga quem acena. Da varanda, o olhar verde é fixo no distante, a sua espera. E as ondas, já sem coração, respondem, no vai e vem de sua dança: "Foi e não volta."

"Quem madruga sempre encontra Januária na janela
Mesmo o sol quando desponta, logo aponta os lábios dela"

Januária já é cega e não percebe quem espia. Ele que não dorme antes de vê-la fechar a porta da varanda e sonha, no mar, com o acarinhar da moça, que é pintura da janela.

"Ela faz que não dá conta de sua graça tão singela
O pessoal se desaponta e vai pro mar, levanta vela"


Mas ele também sabe que Januária é bonita em seu lugar. A varanda é o altar da moça e é de lá, do mar, que ele vai adorar sua eterna Januária.

3 comentários:

Bruno disse...

essas moças de graça tão singela fazem mesmo, quem sabe até sem intenção, maldades com os apaixonados. de ver esses amores, ao longe, tão encantados, vem a pergunta: que será que há de acontecer com quem tem sua Januária bem perto do peito?

gil disse...

Linda música. Adorei o texto. Todos os últimos estão muito legais. Parabéns!
Beijinhos.

Joana disse...

Oi Gil, que bom que gostou dos últimos textos! E legal que dê sua opinião, afinal, se vc anda acompanhando o blog, deve ter percebido a ausência de algumas Meninas de lá...tomara que os comentários sirvam de estímulo, né? E sempre servem!
Um beijo e apareça sempre!