terça-feira, 11 de março de 2008

Apertando

Descobri, ontem, que a distância entre o perto e o longe equivale a um minuto e 32 segundos de abraço. Mas não foi nesse momento que me dei conta de que o perto não era mais perto e havia se tornado, de uma hora pra outra, longe. Foi no tempo de dormir, quando senti aquele perfume no ar, sem saber de onde vinha. E, então, acordei: “É, virou bem longe!”, disse aos gritos. Mais especificamente, 9.779 quilômetros de lonjura é a distância que separa dois corpos no espaço. Caminhada grande esta, não? Não poderei pegar meus patins e nem minha bicicleta estacionada na garagem. Não vai adiantar pegar carona na rua e nem chamar um táxi. E, se eu gritar bem alto, com toda a minha força, ninguém vai escutar. Aí, com medo de ter que chamar e não ter respostas, fecho os olhos e passo a pensar tão, mas tão forte, que, com o pensamento, faço mágica e transformo o tão longe em um tantinho mais perto, de quase poder sentir o macio dos cabelos entre os dedos, no vai-e-vem do acarinhar.

6 comentários:

Nana disse...

l'amore...

Bruno disse...

Muito mais rapido que teletransporte, ouvir a voz suave da menina que amo tanto faz a lonjura desaparecer, nem que seja por um minuto e meio! Se esses homens-que-inventam-coisas entendessem de saudade, fariam avioes que voam bem velozes so pra eu poder me enroscar logo no seu colo!

Camila disse...

Mew, tudo que eu leio seu me emociona! Acho que não é só por gostar do que você escreve, mas por gostar tanto de alguém que além de tudo, escreve tudo isso!!!
Parabéns garotinha! Orgulho da Camila! rs

poesia potiguar disse...

os seus textos são uma felicidade... mesmo quando trazem, como tema, a saudade...

um beijo da gói!

Fabi disse...

Ai ai o amor... Borboletas no estômago... Boca seca... Mãos geladas e suando. Parece um espasmo mas é tão gostoso de sentir.
A menina daqui linkou as meninas de lá.
Beijos...

adelle disse...

esse texto doeu aqui, sabe? ... muito bonito. :*