quinta-feira, 15 de maio de 2008

Era uma vez...uma boneca


Essa imagem merece um post à parte. Gente, a moranguinho é a boneca da infância, que tinha cheirinho de morango.

Reunião, segunda-feira, às 15h. Um balanço geral sobre o que se faz por cada cliente. Muito bacana para se atualizar de todo o trabalho que está rolando. O curioso e mais divertido, porém, foram as companhias especiais dessa mini-reuniãozinha! As filhinhas dos meus chefes. Uma graça, as duas. Lembrei da época em que todos também, me achavam uma gracinha! Daquela época em que não se pensava em nada além das bonecas e balas e desenhos e casas de amigas para se passar as tardes brincando. Era aula de natação, de dança (quem nunca fez dança na infância???), que se intercalavam entre o soninho da tarde e os desenhos na tv.Um tempinho em que os únicos planos para o futuro eram ser bailarina, ou médica, ou atriz, quem sabe uma fada? Ou o presente que se pediria de aniversário ou de natal. (Porque não, nunca ganhei presente de Dia das Crianças, acho que minha mãe não gosta mto dos exegeros desta data...eram sempre lembrancinhas...hahahaha). Engraçado, porém, quando nos sentimos em outra parte do ciclo. Em que a nostalgia de um tempo é superada pela ansiedade do que estar por vir. São os primos que deram vida à priminha mais doce e meiga do mundo. Que abre um sorriso quando chego perto e gargalha com as brincadeirinhas e músicas cantadas só pra ela. Ou o vizinho de anos, com quem brincava de polícia e ladrão pelo condomínio, hoje passeia com carrinho azul e tem o filhote mais sorridente e charmoso da região. Ou ela, a dos cabelos de mola, que está descobrindo o mundo agora e não para de falar e se expressar sobre ele. Que tem seus nomes próprios para todas as coisas e te puxa pela mão da forma mair terna e cativante do mundo. E aí, penso em me desfazer das bonecas de que tanto senti saudades e dá-las as duas pequeninas da minha vida. Ou não mais voltar ao tempo quando ouço minha mãe cantando para uma delas as musicas que aprendeu só pra me ninar, e sim, querer aprendê-las, todas, para poder repetir a elas agora ou aqueles que ainda virão, um dia.

2 comentários:

Bia disse...

gosto do jeito como escreve.

Bruno disse...

ah, Joaninha, você é mesmo feita dessa nostalgia que tem no passado, colorido, as formas para se fazer o futuro. esses pequenos estão aí pra dizer quais cores usar.