quarta-feira, 15 de outubro de 2008

O sonho do Gordo


O Gordo passava nas Cigarras de vez em quando. Nunca avisava quando vinha. Minha mãe e minhas tias ficavam eufóricas, alertando quem cruzassem no caminho, como quem alerta que hoje vai chover: "O Gordo está aqui!". Ele vendia sonhos em São Sebastião, os melhores que já provei. Macios, deliciosamente incorretos na medida do recheio, cheirosos, grandalhões. Mas conseguiam ser ao mesmo tempo delicados ― de um jeito que você podia comer mais de um e não ficar nem fatigado nem satisfeito. O Gordo não entrava no clube, ficava lá na porta e carregava os sonhos em uma cesta coberta por um pano. Não dava pra preferir com doce de leite ou creme porque a acirrada disputa impossibilitava o direito de escolha. Só sei que minha mãe me entregava o sonho enrolado no guardanapo, ainda quente, e vinha aquele cheiro de açúcar misturado com o cheiro do pão. Bobagem. Não dá pra descrever cheiro. Se a MFK Fisher escreveu, eu me permito, agora: sei lá. Era cruel de tão divino. Quando acabava de comer, vinha uma certa tristeza porque era provável que só comesse de novo o sonho nas próximas férias de verão. Mas tudo bem, o Gordo sempre voltava. Um dia, não voltou. "Morreu de aids", diziam. Eu preferia não pensar muito no assunto, como não dá pra imaginar que o Clube Praia das Cigarras foi vendido e vai virar condomínio de luxo. Hoje eu comi um pão cujo cheiro provocou a memória e me fez lembrar do Gordo. Então eu pensei que alguém que passou a vida alimentando as pessoas de sonhos merece o sono dos justos.

7 comentários:

poesia potiguar disse...

Ou mais: quem passou a vida alimentando as pessoas da forma que o fez, merecia, realmente, que alguém sensível como você recuperasse essa memória nesse texto. um texto sobre tudo o que ele e "seus sonhos" simbolizavam. não sei... ando com a impressão de que histórias de infância são, definitivamente, as melhores.

ótimo texto!

bjs

isa disse...

adoro, adoro as doçuras da nana!

marcela dantés disse...

doce.

Neide Rigo disse...

Meninas daqui,
este blog está muito bom. Criaturas de criação! Parabéns!

Nana, que lindo e doce este texto!

beijos, n

Nana disse...

Neide, querida, obrigada pela visita! Venha sempre!

Camila disse...

Ai, que lindo. =´)

Anônimo disse...

Joselitooo!!!