terça-feira, 27 de novembro de 2007

Só poesia


Como pode a poesia estar em tantos lugares ao mesmo tempo? Está em todo lugar, você viu? Hoje eu vi uma pomba voando enquanto recordava, ouvindo o cavaquinho de Warley Henrique. Paz. Hoje eu vi uma pomba voando na rua, um velhinho passando, um policial careca olhando e a poesia rindo-se de tudo isso, deliciada. A poesia rindo-se, chorando? Que linda é essa música, Recordando. Como pode existir música em tudo isso e a gente só ouvir quando decide ouvir ou a vida diz "Escuta!"? Se a gente parasse para reparar a todo instante como tudo é tão lindo, tão perfeito, uma só coisa, talvez não precisasse trabalhar, não precisasse andar, respirar, sofrer, chorar. Porque só o que a gente precisa é amar os instantes, como eu amo escrever neste blog e amo ouvir esta canção, agora.

Um comentário:

poesia potiguar disse...

meninas,

é engraçado como vocês são "todas ao mesmo tempo agora" quando o tema é a poesia, a delicadeza, a capacidade de captar a beleza do instante... os textos como que se cruzam, se intercalam, se completam...

eu venho sempre aqui quando preciso injetar doses cavalares de lirismo nas veias... obrigada por me ajudar a sustentar esse vício do qual não quero me libertar nunca, jamais.

beijos em todas!