terça-feira, 4 de dezembro de 2007

até que...

Resolvi. Vou escrever, mesmo que a inspiração não venha. O início é sempre mais difícil.
E digo mais, a inspiração vem, ela tem vindo, em doses homeopáticas. Momentos, momentos de felicidade, de sanidade, de realidade.
De repente nada é tão grande que não possa ser deixado para trás, num gesto de tranquilidade e aceitação. Aceitar a Vida e extrair dela o possível. Sem esquecer do impossível, porque esse é o combustível.
Aos poucos as coisas ficam menos turvas, menos fim e mais começo. E as lembranças, as boas, ficam ali guardadinhas nos cantinhos, às vezes felizes, às vezes melancolia.
Mas algumas coisas persistem, mudam, resignificam... e aquele poema que era só nosso, agora posto aqui para virar de todos:

"Isso de ser
exatamente aquilo que a gente é
ainda vai nos levar além"
Grande Leminski.

Meninas, amo vocês, cada dia mais. Ainda escrevo sobre as mulheres, porque quem não tem amigas não sabe o que é viver...
Até breve.

4 comentários:

Nana disse...

menina-guerreira

Jobas disse...

Ei, ela apareceu!!!!! como é linda...

Ana disse...

Geó! Geó!
Que bom você aqui! Me emocionei!

disse...

isso que vc não estava inspirada, né??