quinta-feira, 19 de junho de 2008

As dores do mundo

Ando com uma dor de cabeça, que vem se tornando cada vez mais insuportável. O engraçado disso é que nos momentos em que a dor vem com tudo e fica ali, quase cegando para o resto do mundo, tenho a sensação de que momentos valiosos de vida são perdidos. Não se consegue chegar em casa e ler o livro, que tanto se quer terminar, não se consegue chegar em casa e conversar horas sobre o dia que se passou, não se consegue ao menos, curtir o frio debaixo daquela tonelada de cobertores.

Aí penso mais insistentemente em quanta vida se perde por aí, vivendo só de dores. Dores de cansaço, dores de amores, dores de cotovelo, dores de raiva, dores de solidão, dores de exaustão, dores de reclamação, dores e mais dores, que vão gerando ainda mais dores. Ai me dá uma vontade enorme de chorar e de dizer bem alto que não se nasce pra isso. Pelo menos, eu não nasci. E aí, como quem vem pra tirar a dor da gente com a mão, ganho forças, lembrando da mensagem mais bonita feita em cartolina ou vinda por telegrama. Lembrando do sorriso dele ou da risada bêbada de mãe, filha e madrinha, exaustas após a festa. Pensando que meu docinho lembrou de mim e foi correndo até a porta chamando o meu nome bem alto. Lembrando das meninas de lá e dos jantares e almoços e conversas, lembrando dos amigos-saudade, que fazem cada encontro, o melhor de todos. Aí consigo enxergar de novo, sempre e pra sempre, que o gostar é e deve ser mais forte do que qualquer dor do mundo.

Assim, consigo dormir melhor, com a mesma dor de cabeça latejando, mas feliz por saber que um dia todas as dores passam e o que resta é a gente, por inteiro, com o mesmo balanço e com a mesma vida para se seguir em frente.

5 comentários:

Bruno disse...

sinto dores de saudades e amores, mas, existisse, não tomaria analgésico nenhum pra aliviar o vácuo que esse doer traz e faz absorver o sentimento todo do mundo. o problema todo é ter uma cabeça que nunca conclui se dá pra separar amar de sofrer de saudades. de tanto processar esse emaranhado, a cachola há de reclamar mesmo! aposto que chá, cobertor, colo e silêncio resolvem. quer tentar?

Nana disse...

Maravilhosa!

gil disse...

EBA!
Eu já tava com dor de dente por falta de novidade aqui!
Fiquei feliz agora.

marcela dantés disse...

melhoras pra suas dores, gata.
pras nossas e pras do mundo.

menos aquelas dorzinhas gostosas de doer, sabe?
essas eu ainda quero.

Clariastra disse...

Essa junção de letras e palavras é do tipo que me faz chorar. mas não de total tristeza.
Parabéns!!!
"porque nada substitui o talento"