terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Arrumação


É, Ivan Angelo.

"Um dia você cisma de arrumar aquele armário. Papéis, pastas, recibos, recortes, projetos, entrevistas, resenhas, cartas. Vai tentando pôr ordem na bagunça, colocando no lugar certo umas coisas, jogando outras fora, e aí esbarra com uma agenda velha. Por que teria sido guardada? Você abre ao acaso e lê:

O viajante alemão Von Martius conta que ouviu numa fazenda perdida de Minas Gerais, em 1818, as filhas do fazendeiro cantarem acompanhando-se ao piano uma música de Tomás Antônio Gonzaga, 'No Regaço'. Pelo que fala Martius, Gonzaga era compositor conhecido e apreciado. E note-se que já estava morto havia uns 10 anos e havia mais de 20 fora degredado de Vila Rica para Moçambique. Por que algum pesquisador universitário não procura as músicas dele?

Abre noutra página e lê:

Stendhal - 'Mesmo as mulheres mais bonitas parecem menos bonitas no segundo dia'. Que ele me perdoe a paráfrase: as mulheres feias também parecem menos feias no segundo dia.

Você procura a data do seu aniversário e encontra:
'O melhor destino é não nascer, e o segundo, depois desse, é morrer ao nascer'. (Louis de Leon, teólogo francês, 1528.)

(...)

Você olha aquela agenda quase sem serventia, como certas chaves que não usamos nem tiramos do chaveiro, esquecidos de que portas abriam, mas esperançosos de que abram alguma, algum dia, e a coloca de novo no armário."

2 comentários:

Areia disse...

cadernetas?

Nana disse...

O labirinto de Creta...