terça-feira, 15 de abril de 2008

A menina e o ratinho - Parte 3


De repente, se viram os dois, a menina e o ratinho, em margens opostas do rio Sena. Parados. Ela, os olhos mareados; os dele, querendo marear, mas não. Entre eles, barcos, o vai-e-vem das ondas e um velho guardanapo sujo de sorvete de chocolate. Tudo o que ele mais queria é que ela saltasse da margem, nadasse até ele e, com um abraço apertado, fizesse seu coração chorar um choro bom há muito tempo preso no peito. E ela diria assim: "Remy, chega de passear só em nossos sonhos", antes de rodopiar seu vestido amarelo cheirando acordado de tanto esperar, e então o levaria para tomar sorvete em todas as esquinas de Paris. Ela, porém, continuava parada ali, só parada, mas gostando de olhar o ratinho, gostando, gostando... Não queria mais dizer "vamos deixar de lado a flor e o sorriso, um instantinho só". Não, a menina já tinha descoberto que o girassol não é menos bonito que a rosa vermelha, e que podia sorrir muitos sorrisos, se quisesse. Por que então não conseguia pular no rio e nadar até o Remy? Tentou em vão diminuir a distância com uma fita cor-de-rosa que encontrou embaixo do banco; esticou o braço, imaginando que, como num passe de mágica (afinal, duendes existem) podia alcançar o outro lado da margem; nada. "Pula, menina", ela dizia para si mesma, mas sabia que não era a hora de pular ainda, porque quando é, a gente pula e pronto. Sentou-se na margem, balançando os pés, feito menina moleca, enquanto observava o Remy, querendo fazer ele rir. Ele não riu, mas quis. E ficaram assim os dois, se olhando, distraídos. Não terminaram (começaram?). Foi neste instante que a borboleta laranja pousou novamente em sua mão, delicada, o que fez ela pensar que o mais importante e bonito do mun­do é mesmo isto: as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - elas vão sempre mudando.

2 comentários:

Roberta disse...

Meninas, vcs não sabem, mas há algum tempo leio o blog de vcs e gosto muito e fico feliz. Feliz pq meus amigos não deixam faltar bons textos e um pouco de poesia para os meus momentos de dureza, cansaço, desânimo. Aí entro nos blogs, leio bons versos, reflexões idem e vejo que a vida pode ser bem melhor do que parece!
Obrigada por esses respiros. Saudades! Um beijo estalado e um abraço apertado pra cada uma de vcs!
Rô Dezan

Irina disse...

Coincidência ou não, em um dia chuvoso, eu descobri um blog com textos leves e de boa leitura !!

parabééé´ns meninas !


já está add no meus sites favoritos !