terça-feira, 8 de abril de 2008

Voltei!


Ai, finalmente....

Antes de começar, quero declarar que não consigo visitar um dia este bendito blog sem chorar ou me emocionar pelas palavras dessas meninas de lá... ai ai ai meninas, mas que coisa!!!

Pronto, recuperada. Começo de algum lugar, só porque tenho que começar.

O que posso dizer? Assumo. Fico esperando a vida se assentar para poder escrever algo que seja verdadeeeiro, lá de dentro.

Mas a vida continua rodando, chacoalhando, e não pára nunca! O que posso fazer se, no mesmo dia, amo, odeio, me apaixono, detesto. Ouço Chico Buarque, ouço indie rock, penso na filosofia, penso na notícia do jornal, penso no jornalismo, e termino baixando música loucamente no computador. O que escrever se no mesmo dia quero viajar para a europa, me casar, morar numa casa com jardim, ter filhos encaracolados, ser livre, ser só, ser dois.

Como diz Arminto Cordovil, personagem de Milton Hatoum: "nossa vida não se cansa de dar voltas...". É Arminto. Não cansa, não cansa mesmo.

A gente é que às vezes cansa, mas logo se abre de novo pro vai e vem gostoso, que lembra o barco viking dos parquinhos da infância. A vida vaaaaaaaiii e ela vooooooooooolta, e dependendo da qualidade do parquinho, faz a volta inteira, te deixando de ponta cabeça!

______________________________________________________________



Frase da vida: "É por cantos e danças que o homem se manifesta como membro de uma coletividade que o ultrapassa". Viva Nietzsche!

Um comentário:

Jo-jo disse...

Viva Hagar!!!!!

Nietzsche for life(2):

"É necessário ter o caos cá dentro para gerar uma estrela."